(11) 4552-3020 [email protected]

10 dicas indispensáveis de segurança de condomínio

Especialistas em segurança afirmam que, grande parte das invasões e assaltos poderiam ser evitados com pequenas atitudes preventivas por parte dos moradores e da administração dos prédios.

Para ajudar a melhorar a segurança no condomínio, neste artigo, apresentaremos 10 dicas indispensáveis sobre o assunto.

Continue lendo e saiba como é possível otimizar a segurança no condomínio. Boa leitura!

  1. Seja criterioso na contratação de pessoal

Na contratação de funcionários é importante realizar uma seleção criteriosa, pois os profissionais efetivados terão grande participação na segurança no condomínio. É interessante que além dos testes padrões, seja desenvolvido uma pesquisa sobre os trabalhos anteriores de cada candidato, analisando desempenhos e as razões dos desligamentos.

Como síndico ou gestor, você também deve trabalhar junto aos condôminos para que os mesmos procedimentos sejam seguidos na contratação de funcionários particulares dos apartamentos.

Não obstante, é essencial implantar um sistema de cadastramento de colaboradores, moradores, visitantes e prestadores de serviço.

A participação dos condôminos é fundamental para o sucesso da estratégia, pois, ao informar aos amigos e parentes sobre a obrigatoriedade do cadastramento de pessoal, facilitarão a execução da tarefa pelos responsáveis.

 

  1. Mantenha-se sempre atualizado

Para obter sucesso em suas investidas, os marginais sempre utilizam técnicas e ideias para burlar a segurança no condomínio. Por isso, é essencial que o gestor mantenha toda equipe de funcionários e moradores atualizados sobre novos métodos de ataque.

Além disso, deve-se garantir que todos os colaboradores estejam preparados para agir diante de qualquer situação. Para isso, é necessário investir em sessões de treinamento e capacitação. Logicamente, não é para transformar ninguém em combatente do crime, porém, com o conhecimento certo, todos saberão o momento correto de, por exemplo:

  • Acionar a polícia:
  • Contatar o síndico;
  • Orientar a equipe de segurança.

 

  1. Preserve a portaria sob vigilância

Os portões de pedestre e de estacionamento são as duas principais entradas do prédio, por isso precisam estar em constante monitoramento. Em nenhuma circunstância o porteiro deve abandonar o seu posto para atender a terceiros.

Além disso, é importante que condôminos e visitantes façam a sua parte e nunca deixem os portões abertos por muito tempo. Infelizmente, é muito comum vermos reportagens sobre casos de condomínios invadidos porque algum morador deixou o portão da garagem aberto por um longo período.

Se o condomínio contar com um portão automático, é imperativo que o equipamento só seja acionado quando o morador estiver bem próximo da entrada.

Mesmo com a vigilância do porteiro, a entrada do prédio só estará completamente segura se todos fizerem a sua parte.

  1. Invista em tecnologia para garantir a segurança no condomínio

Com o alto índice de violência, considerado um dos grandes males do século XXI, o investimento em equipamentos de segurança tornou-se algo primordial. Há muito tempo deixou de ser considerado luxo ou diferencial, tornando-se um bem necessário para a segurança nos condomínios.

E, hoje, já existem diversas ferramentas direcionadas exclusivamente para a segurança no condomínio, por exemplo, as câmeras de alta definição – se você deseja algo mais abrangente, pode implementar um CFTV (Circuito Fechado de Televisão) completo.

Além desses, temos os portões automáticos e porteiros eletrônicos, que permitem que os morados conversem e vejam os visitantes que estão do lado de fora do condomínio, liberando a entrada após ter a certeza sobre a identidade da pessoa.

E a lista de equipamentos modernos não param por aí, ainda podemos citar:

  • Sensores de luz automáticos;
  • Alarmes sonoros;
  • Controle de acesso.

 

  1. Zele para que todos respeitem as regras do condomínio

Não adianta investir em equipamentos tecnológicos ou criar estratégias inteligentes se as regras do condomínio não forem respeitadas. Muitos moradores, em diferentes momentos, “esquecem” que vivem em um local coletivo e ignoram o fato de que suas ações impactam diretamente outras pessoas.

Um dos deveres do síndico é zelar para que todos tenham acesso às regras e as cumpram corretamente. As instruções podem variar de acordo com o condomínio, mas no geral elas se concentram em:

  • Participar das assembleias coletivas;
  • Seguir as decisões gerais;
  • Não expor a si próprio ou a outros moradores a situações de risco;
  • Respeitar o limite de velocidade dentro do prédio;
  • Orientar parentes, amigos e funcionários pessoais quanto às regras do condomínio;
  • Cuidar dos equipamentos do local.

 

  1. Estabeleça normas para entrada e saída de moradores e visitantes

Garantir que tudo ocorra bem na portaria principal do prédio é uma das formas mais inteligentes de assegurar a segurança no condomínio. Por isso, é importante estabelecer regras para moradores e visitantes, como abaixar o vidro do veículo ao chegar à entrada do prédio ou mesmo se posicionar de forma a facilitar a identificação do motorista e dos acompanhantes.

Também é importante que os condôminos registrem seus números de telefone na portaria, para que em casos emergenciais, seja facilitada a aplicação das práticas corretas.

 

  1. Nunca entregue as cópias das chaves na portaria ou a terceiros

Para evitar qualquer problema futuro, o gestor do condomínio deve orientar aos moradores a nunca entregar cópias de chaves dos apartamentos na portaria do prédio, bem como os funcionários a nunca receberem os itens.

Fora isso, é essencial que os condôminos só repassem as chaves, senhas ou códigos dos apartamentos a pessoas de extrema confiança.

  1. Não comente sobre situações dos condomínios com pessoas externas

Muitos condomínios se tornam alvos de criminosos porque algumas informações privilegiadas acabam sendo vazadas, como identidade dos moradores e vulnerabilidades do local. Nesse sentido, é vital que o gestor oriente seus funcionários a não comentarem sobre a rotina do condomínio com pessoas de fora.

Os moradores também devem fazer a sua parte e evitar que seus filhos e amigos conversem sobre questões financeiras ou situações diárias com pessoas desconhecidas.

  1. Atenção à entrada de prestadores de serviço, corretores, entre outros

Durante a execução de um serviço por empresas terceirizadas, como de limpeza e jardinagem, é necessário que um funcionário do condomínio acompanhe de perto os prestadores de serviço.

Quanto aos corretores, o acesso deles só deve ser liberado mediante a autorização prévia do proprietário do apartamento. E como mencionado no primeiro tópico: o melhor caminho é adotar o cadastramento de pessoal, evitando qualquer surpresa.

 

  1. Trabalhe junto aos moradores para garantir a segurança no condomínio

O gestor deve trabalhar junto aos condôminos para garantir uma melhor segurança coletiva.

Ainda que os funcionários executem exemplarmente suas funções, o síndico precisa se manter próximo aos moradores a fim aperfeiçoar os resultados. Assim, ele deve:

  • Reunir-se com os condôminos e trabalhar a consciência coletiva;
  • Definir normas e procedimentos a serem adotados;
  • Discutir novas ideias e conceitos visando o bem-estar de moradores e funcionários.

 

Fonte: proadsp.com.br